SEMIOLOGIA FARMACÊUTICA E OS DESAFIOS PARA SUA CONSOLIDAÇÃO

Autores

  • Tahisa Marcela Pedroso Departamento de Fármacos e Medicamentos, Faculdade de Ciências Farmacêuticas, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, 14801-902, Araraquara-SP, Brasil.
  • Patrícia de Carvalho Mastroianni Departamento de Fármacos e Medicamentos, Faculdade de Ciências Farmacêuticas, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, 14801-902, Araraquara-SP, Brasil.
  • Jean Leandro dos Santos Departamento de Fármacos e Medicamentos, Faculdade de Ciências Farmacêuticas, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, 14801-902, Araraquara-SP, Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.5216/ref.v11i2.28157

Palavras-chave:

Semiologia farmacêutica, Doenças menores, Prescrição farmacêutica, Automedicação orientada, Medicamentos isentos de prescrição.

Resumo

A semiologia farmacêutica pode ser entendida como a identificação de sinais e sintomas, principalmente aqueles relacionados aos transtornos/distúrbios menores relatados pelo paciente. Essa prática profissional não deve ser confundida com diagnóstico, que é uma atividade realizada pelo médico, mas como uma nova ferramenta na dispensação ativa de medicamentos de venda livre. Este estudo visa identificar o desenvolvimento dessa prática profissional e discutir os desafios necessários à sua implementação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2014-06-30

Como Citar

PEDROSO, T. M.; MASTROIANNI, P. de C.; DOS SANTOS, J. L. SEMIOLOGIA FARMACÊUTICA E OS DESAFIOS PARA SUA CONSOLIDAÇÃO. Revista Eletrônica de Farmácia, Goiânia, v. 11, n. 2, p. 15, 2014. DOI: 10.5216/ref.v11i2.28157. Disponível em: https://revistas.ufg.br/REF/article/view/28157. Acesso em: 30 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos Originais