MODELAGEM MOLECULAR POR HOMOLOGIA E VALIDAÇÃO ESTRUTURAL DA CRK3 DE LEISHMANIA MEXICANA

Autores

  • Felipe Siconha Souza Pereira Universidade Federal de Alfenas - MG
  • Lucas Andrade Saraiva
  • Nelson José Freitas da Silveira
  • Marcia Paranho Veloso

DOI:

https://doi.org/10.5216/ref.v10i2.23387

Palavras-chave:

modelos moleculares, quinases ciclina-dependentes, Leishmania mexicana

Resumo

Tendo em vista a existência de um alvo molecular promissor na espécie Leishmania mexicana, uma proteína quinase ciclina dependente relatada previamente em estudos relacionados, o trabalho em pauta objetivou a elucidação de uma estrutura molecular cristalográfica do alvo citado, a qual não é existente atualmente nos bancos de dados de proteínas disponíveis. O protozoário em pauta consiste em um dos agentes etiológicos da leishmaniose cutânea, doença negligenciada mundialmente nos dias de hoje, e devido a tal faz-se de grande valia estudos relacionados à terapêutica dessa patologia. A partir de técnicas de modelagem molecular comparativa foi realizada a construção de um modelo da quinase CRK3 com base em um molde similar, obtendo-se um modelo satisfatório e realizados processos de validação e otimização do mesmo, a fim de comprovar a confiabilidade quanto a estrutura gerada, obtendo assim um modelo cristalográfico antes inexistente, para posteriores estudos voltados ao planejamento racional de novos fármacos para o combate a leishmaniose. 10.5216/ref.v10i2.23387

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Felipe Siconha Souza Pereira, Universidade Federal de Alfenas - MG

Laboratório de Modelagem Computacional - LaModel, UNIFAL/MG

Downloads

Publicado

2013-06-30

Como Citar

PEREIRA, F. S. S.; SARAIVA, L. A.; DA SILVEIRA, N. J. F.; VELOSO, M. P. MODELAGEM MOLECULAR POR HOMOLOGIA E VALIDAÇÃO ESTRUTURAL DA CRK3 DE LEISHMANIA MEXICANA. Revista Eletrônica de Farmácia, Goiânia, v. 10, n. 2, p. 11, 2013. DOI: 10.5216/ref.v10i2.23387. Disponível em: https://revistas.ufg.br/REF/article/view/23387. Acesso em: 22 maio. 2022.

Edição

Seção

Artigos Originais