ESTUDO DA ENCAPSULAÇÃO DA ISOTRETINOÍNA EM LIPOSSOMAS

Autores

  • Carina Pimentel Itapema Alves

DOI:

https://doi.org/10.5216/ref.v4i1.2124

Resumo

Os lipossomas, vesículas compostas por uma ou várias bicamadas de fosfolipídeos, são capazes de encapsular substâncias com diversas características de hidro e lipofilia, seja na bicamada lipídica ou no compartimento aquoso interior. Dentre as classes de fármacos com potencial aplicação para a encapsulação em lipossomas, os retinóides, compostos envolvidos em uma ampla variedade de processos biológicos, ocupam lugar de destaque. Neste trabalho foi estudada a encapsulação da isotretinoína em lipossomas unilamelares com o propósito de desenvolver um sistema adequado para futuras investigações farmacológicas e farmacocinéticas que possam comprovar a otimização do efeito terapêutico deste fármaco quando em lipossomas. Lipossomas contendo isotretinoína foram preparados pela técnica de injeção de clorofórmio, sendo posteriormente caracterizados pela técnica de espalhamento de luz. A eficiência de encapsulação e demais avaliações quantitativas foram determinadas por espectrofotometria. Utilizando-se 40mM de fosfatidilcolina e 10 mM de colesterol na preparação de lipossomas, foi possível observar que a presença do colesterol reduz a eficiência da encapsulação do fármaco devido à sua localização preferencial na bicamada lipídica. 10.5216/ref.v4i1.2124

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

24-10-2007

Como Citar

Alves, C. P. I. (2007). ESTUDO DA ENCAPSULAÇÃO DA ISOTRETINOÍNA EM LIPOSSOMAS. Revista Eletrônica De Farmácia, 4(1). https://doi.org/10.5216/ref.v4i1.2124

Edição

Seção

Artigos Originais