INFLUÊNCIA DA VISCOSIDADE DO VEÍCULO NA LIBERAÇÃO IN VITRO DA CAFEÍNA

Autores

  • Marlus Chorilli Chorilli

DOI:

https://doi.org/10.5216/ref.v4i1.2121

Resumo

A reologia é um parâmetro importante para avaliação do comportamento de fluxo do material, determinando como este flui ou deforma, sob influências externas. Seu estudo abrange a viscosidade, tipo de fluxo, valor de rendimento e tixotropia do produto. Viscosidade é uma expressão de resistência do fluido ao fluxo: quanto maior a viscosidade, maior a resistência. O objetivo deste trabalho foi verificar, no período de um mês, a viscosidade de dois géis acrescidos de cafeína, ativo empregado em produtos cosméticos, correlacionando viscosidade x liberação in vitro da substância ativa. Foram preparadas duas formulações de gel, as quais se diferenciaram apenas pela concentração do polímero hidrofílico Carbopol 940® (1 e 1,5%). Além do polímero, as formulações apresentaram propilenoglicol, álcool etílico, fenoxietanol e parabenos, tampão acetato de sódio 0,1 M e trietanolamina. Para o estudo da viscosidade, utilizou-se o viscosímetro rotativo Visco Star-LP Select. Já para os estudos de liberação empregou-se célula de difusão, contendo dois compartimentos separados por uma membrana de diálise. No compartimento doador, aplicou-se as formulações objeto de estudo enquanto que o compartimento receptor foi composto de tampão acetato (solução receptora). Em tempos pré-determinados (1, 30, 60, 90, 120 e 150 minutos), amostras da solução receptora foram coletadas e analisadas em espectrofotômetro para determinação da concentração de cafeína liberada. Para ambos os géis, em todos os dias analisados, os resultados do perfil reológico evidenciaram fluxo não newtoniano, do tipo pseudoplástico tempo independente. Através da análise de variância, verificou-se que a viscosidade do gel interferiu de maneira significativa na liberação da cafeína pelo veículo. Além disso, comprovou-se que o aumento da viscosidade, em função do aumento da concentração de Carbopol 940®, diminuiu a velocidade de liberação da cafeína, podendo este excipiente ser determinante para a produção de uma formulação de "liberação imediata" ou "liberação controlada". 10.5216/ref.v4i1.2121

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

24-10-2007

Como Citar

Chorilli, M. C. (2007). INFLUÊNCIA DA VISCOSIDADE DO VEÍCULO NA LIBERAÇÃO IN VITRO DA CAFEÍNA. Revista Eletrônica De Farmácia, 4(1). https://doi.org/10.5216/ref.v4i1.2121

Edição

Seção

Artigos Originais