AVALIAÇÃO DE TOXICIDADE AGUDA: ESTRATÉGIAS APÓS A “ERA DO TESTE DL50“

Autores

  • Marize C. Valadares Laboratório de Imunofarmacologia e Imunotoxicologia, Núcleo de Estudos e Pesquisas Tóxico-Farmacológicos

DOI:

https://doi.org/10.5216/ref.v3i2.2083

Resumo

O presente trabalho discute a avaliação da toxicidade aguda sistêmica após a eliminação do teste da DL50 (dose letal mediana). Os três testes alternativos em animais empregados hoje, Dose Fixa, Toxicidade Aguda de Classe e o Teste “Up and Down”, trouxeram significante melhora para o bem-estar animal. Embora a eliminação total do uso de animais ainda não seja possível, a citotoxicidade basal in vitro tem sido empregada como adjuvante dos testes em animal para a seleção das doses iniciais reduzindo ainda mais o número de animais empregados na avaliação do toxicidade aguda sistêmica. 10.5216/ref.v3i2.2083

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2007-10-23

Como Citar

VALADARES, M. C. AVALIAÇÃO DE TOXICIDADE AGUDA: ESTRATÉGIAS APÓS A “ERA DO TESTE DL50“. Revista Eletrônica de Farmácia, Goiânia, v. 3, n. 2, 2007. DOI: 10.5216/ref.v3i2.2083. Disponível em: https://revistas.ufg.br/REF/article/view/2083. Acesso em: 1 mar. 2024.

Edição

Seção

Artigos Originais