ESTUDO IMUNOHISTOQUÍMICO DO CEREBELO DE RATOSWISTAR SUBMETIDOS À EXPOSIÇÃO AGUDA AO ETANOL NO 12º DIA DE VIDA INTRAUTERINA

Autores

  • Aline G. Souza Instituto de Ciências Biológicas – Departamento de Morfologia

DOI:

https://doi.org/10.5216/ref.v3i1.2068

Resumo

Os efeitos do uso crônico de etanol durante a gravidez sobre a morfologia e as funções do sistema neural são conhecidos na literatura, mas os efeitos do uso agudo de etanol em momentos críticos da gravidez ainda precisam ser esclarecidos. A exposição pré-natal crônica ao etanol tem sido associada a várias anormalidades em fetos e neonatos, como alterações na densidade neuronal de células pirifomes do cerebelo também chamadas de células de Purkinje. Neste trabalho nós estudamos os efeitos da utilização aguda de etanol no décimo segundo dia de gestação (E12), sobre a morfologia do cerebelo da prole. Não houve diminuição nos precursores das células granulares e de Purkinje, como ocorrido na síndrome alcoólica fetal produzida pela exposição crônica de ratas prenhas ao etanol. Isso pode ser explicado pelo fato de que os animais foram expostos ao etanol após o nascimento das células de Purkinje, e estas constituem um importante fator para migração e sobrevivência das células granulares. Os efeitos agudos do etanol no período em que se inicia a construção cortical cerebral, têm demonstrado alto grau de severidade sobre este tecido, mas fora dessa data, não oram observados, nas condições deste trabalho, os mesmos efeitos deletérios observados no córtex cerebral sobre o córtex cerebelar. 10.5216/ref.v3i1.2068

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2007-10-23

Como Citar

SOUZA, A. G. ESTUDO IMUNOHISTOQUÍMICO DO CEREBELO DE RATOSWISTAR SUBMETIDOS À EXPOSIÇÃO AGUDA AO ETANOL NO 12º DIA DE VIDA INTRAUTERINA. Revista Eletrônica de Farmácia, Goiânia, v. 3, n. 1, 2007. DOI: 10.5216/ref.v3i1.2068. Disponível em: https://revistas.ufg.br/REF/article/view/2068. Acesso em: 28 jan. 2023.

Edição

Seção

Artigos Originais