FARMACOLOGIA DO DIABETES MELLITUS TIPO 2: ANTIDIABÉTICOS ORAIS, INSULINA E INOVAÇÕES TERAPÊUTICAS

Autores

  • Vannessa Passos Lopes Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS). Departamento de Saúde (DSAU).
  • Manoelito Coelho dos santos Júnior Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS). Departamento de Saúde (DSAU).
  • Aníbal de Freitas Santos Júnior Universidade do Estado da Bahia (UNEB)
  • Amália Ivine Costa Santana Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS). Departamento de Saúde (DSAU).

DOI:

https://doi.org/10.5216/ref.v9i4.18918

Palavras-chave:

Diabete Melito tipo 2, insulina, hiperglicemia, antidiabéticos.

Resumo

O Diabetes mellitus do tipo 2 (DM-2) é uma desordem metabólica que apresenta a hiperglicemia como característica principal, caracterizado pela resistência à ação da insulina e disfunção das células ? pancreáticas. Este trabalho objetivou apresentar a farmacoterapia e os avanços no tratamento do DM-2. A metodologia empregada foi a pesquisa bibliográfica. O tratamento do DM-2 é multifatorial incluindo, primeiramente, educação e mudanças no estilo de vida e, posteriormente intervenção farmacológica. Os antidiabéticos orais constituem a primeira escolha para o tratamento do DM-2 não-responsivo às medidas não-farmacológicas isoladas e, classificam-se de acordo com o seu mecanismo de ação: 1) hipoglicemiantes orais ou secretagogos (sulfoniluréias e metiglinidas); 2) sensibilizadores da ação da insulina (tiazolidinodionas); 3) redutores da neoglicogênese (biguanidinas) e; 4) redutores da velocidade de absorção de glicídeos (inibidores da ?-glicosidase). A busca por terapias com elevada eficácia e menos ocorrência de efeitos indesejáveis é ininterrupta e, novos fármacos tornam-se disponíveis, por exemplo, os incretinomiméticos; inibidores da Dipeptidil Peptidase 4 (DPP-IV) e análogos da amilina. Assim, devido a alta prevalência e as graves conseqüências associadas ao DM-2 tornou-se de ampla relevância compilar informações sobre os fármacos classicamente utilizados na terapêutica do DM-2, bem como os novos fármacos disponíveis o tratamento dessa doença. 10.5216/ref.v9i4.18918

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vannessa Passos Lopes, Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS). Departamento de Saúde (DSAU).

Farmacêutica graduada pela Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS). Departamento de Saúde (DSAU). Feira de Santana - Bahia.

Manoelito Coelho dos santos Júnior, Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS). Departamento de Saúde (DSAU).

Docente da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS). Departamento de Saúde. Feira de Santana - Bahia.

Aníbal de Freitas Santos Júnior, Universidade do Estado da Bahia (UNEB)

Departamento de Ciências da Vida (DCV) - Area de Farmacologia

Amália Ivine Costa Santana, Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS). Departamento de Saúde (DSAU).

Enfermeira graduada pela Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS). Departamento de Saúde (DSAU). Núcleo de Epidemiologia – UEFS. Feira de Santana - Bahia.

Downloads

Publicado

2012-12-30

Como Citar

LOPES, V. P.; DOS SANTOS JÚNIOR, M. C.; SANTOS JÚNIOR, A. de F.; SANTANA, A. I. C. FARMACOLOGIA DO DIABETES MELLITUS TIPO 2: ANTIDIABÉTICOS ORAIS, INSULINA E INOVAÇÕES TERAPÊUTICAS. Revista Eletrônica de Farmácia, Goiânia, v. 9, n. 4, p. 22, 2012. DOI: 10.5216/ref.v9i4.18918. Disponível em: https://revistas.ufg.br/REF/article/view/18918. Acesso em: 14 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos Originais