Bioprospecção das atividades antioxidante e antimicrobiana de espécies vegetais medicinais coletadas em Ouro Preto-MG

Autores

  • Juliana Neves de Paula Souza Escola de Farmácia, Universidade Federal de Ouro Preto, UFOP, Ouro Preto, MG, Brasil
  • Julia Gesualdi Candotti Escola de Farmácia, Universidade Federal de Ouro Preto, UFOP, Ouro Preto, MG, Brasil
  • Tatiane Roquete Amparo Escola de Farmácia, Universidade Federal de Ouro Preto, UFOP, Ouro Preto, MG, Brasil
  • Fabiana Fioravante Coelho Departamento de Farmácia e Programa de Pós-graduação CIPHARMA
  • Ivanildes Vasconcelos Rodrigues Escola de Farmácia, Universidade Federal de Ouro Preto, UFOP, Ouro Preto, MG, Brasil
  • Orlando David Henrique dos Santos Escola de Farmácia, Universidade Federal de Ouro Preto, UFOP, Ouro Preto, MG, Brasil
  • Luiz Fernando Teixeira de Medeiros Escola de Farmácia, Universidade Federal de Ouro Preto, UFOP, Ouro Preto, MG, Brasil
  • Niege Araçari Jacometti Cardoso Furtado Universidade do Estado de São Paulo, USP-RP
  • Hildeberto Caldas de Sousa Universidade Federal de Ouro Preto, UFOP, Ouro Preto, MG, Brasil.
  • Gustavo Henrique Bianco de Souza Escola de Farmácia, Universidade Federal de Ouro Preto, UFOP, Ouro Preto, MG, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.5216/ref.v10i1.18635

Palavras-chave:

plantas medicinais, extratos vegetais, fitoterapia

Resumo

O presente estudo foi realizado com os extratos etanólicos brutos de seis espécies vegetais (Bathysa australis, Piper corcovadensis, Siparuna brasiliensis, Picramnia sp., Piper richardiifolium, Eugenia cf. cerasiflora) de uso medicinal, coletadas na região de Ouro Preto-MG. Os extratos etanólicos foram avaliados frente à atividade antioxidante (método do DPPH) e antimicrobiana (Concentração Inibitória Mínima, CIM), bem como submetidos à dosagem de compostos fenólicos (reagente Folin-Ciocalteau) e flavonóides totais (cloreto de Alumínio). Os resultados evidenciaram que o extrato de Siparuma brasiliensis apresentou maior atividade antioxidante (CE50 17,712 µg/mL) e o de Piper richardiifolium a melhor atividade antimicrobiana para Staphylococcus aureus (300 µg/mL) e Staphylococcus saprophyticus (200 µg/mL). Estes resultados sugerem que as atividades avaliadas estão diretamente relacionadas com a presença de compostos fenólicos, porém não necessariamente à presença de flavonóides. 10.5216/ref.v10i1.18635

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Juliana Neves de Paula Souza, Escola de Farmácia, Universidade Federal de Ouro Preto, UFOP, Ouro Preto, MG, Brasil

Departamento de Farmácia e Programa de Pós-graduação CIPHARMA

Julia Gesualdi Candotti, Escola de Farmácia, Universidade Federal de Ouro Preto, UFOP, Ouro Preto, MG, Brasil

Departamento de Farmácia e Programa de Pós-graduação CIPHARMA

Tatiane Roquete Amparo, Escola de Farmácia, Universidade Federal de Ouro Preto, UFOP, Ouro Preto, MG, Brasil

Departamento de Farmácia e Programa de Pós-graduação CIPHARMA

Ivanildes Vasconcelos Rodrigues, Escola de Farmácia, Universidade Federal de Ouro Preto, UFOP, Ouro Preto, MG, Brasil

Departamento de Farmácia e Programa de Pós-graduação CIPHARMA

Orlando David Henrique dos Santos, Escola de Farmácia, Universidade Federal de Ouro Preto, UFOP, Ouro Preto, MG, Brasil

Departamento de Farmácia e Programa de Pós-graduação CIPHARMA

Luiz Fernando Teixeira de Medeiros, Escola de Farmácia, Universidade Federal de Ouro Preto, UFOP, Ouro Preto, MG, Brasil

Departamento de Farmácia e Programa de Pós-graduação CIPHARMA

Niege Araçari Jacometti Cardoso Furtado, Universidade do Estado de São Paulo, USP-RP

Departamento de Ciências Farmacêuticas, Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto

Hildeberto Caldas de Sousa, Universidade Federal de Ouro Preto, UFOP, Ouro Preto, MG, Brasil.

Departamento de Biodiversidade, Evolução e Meio Ambiente-ICEB

Gustavo Henrique Bianco de Souza, Escola de Farmácia, Universidade Federal de Ouro Preto, UFOP, Ouro Preto, MG, Brasil

Departamento de Farmácia e Programa de Pós-graduação CIPHARMA

Downloads

Publicado

2013-03-31

Como Citar

SOUZA, J. N. de P.; CANDOTTI, J. G.; AMPARO, T. R.; COELHO, F. F.; RODRIGUES, I. V.; SANTOS, O. D. H. dos; MEDEIROS, L. F. T. de; FURTADO, N. A. J. C.; SOUSA, H. C. de; SOUZA, G. H. B. de. Bioprospecção das atividades antioxidante e antimicrobiana de espécies vegetais medicinais coletadas em Ouro Preto-MG. Revista Eletrônica de Farmácia, Goiânia, v. 10, n. 1, p. 15, 2013. DOI: 10.5216/ref.v10i1.18635. Disponível em: https://revistas.ufg.br/REF/article/view/18635. Acesso em: 11 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos Originais