VALIDAÇÃO ANALÍTICA EM CLAE-UV PARA MONITORAÇÃO PLASMÁTICA DA METILPREDNISOLONA E DO SUCCINATO DE METILPREDNISOLONA

Autores

  • Luiz C. da Cunha Núcleo de Estudos e Pesquisas Tóxico-farmacológicas (NEPET-UFG).

DOI:

https://doi.org/10.5216/ref.v1i2.1759

Resumo

A validação da técnica analítica para dosagem da metilprednisolona (MP) e seu éster succinato sódico (MPSS) em plasma humano de pacientes lúpicos (LES) foi desenvolvida em CLAE utilizando a triancinolona [500 µL/mL] como padrão interno. A faixa dinâmica compreendida pela MP e MPSS foi de 10,0 a 1,0 µg/mL adicionados em plasma As condições cromatográficas empregadas foram sistema isocrático com fase móvel acetonitrila:água:ácido acético (47:50:03) sob fluxo de 0,8 mL/min, coluna RP18 (25 cm e 0,4 mm d.i.) e detector UV (? = 254 nm). A validação analítica apresenta-se conforme normas internacionais e legislação sanitária vigente no Brasil. Além de excelente linearidade (RMP = 0,99933; RMPSS = 0,99638), a técnica demonstrou elevada precisão intra- e interdia (< 7%), com adequada exatidão (> 90%) e recuperação (> 85%). O limite de quantificação foi de 0,25 g/mL. Adicionalmente, a técnica demonstrou ser robusta, estável e seletiva podendo ser empregada na quantificação plasmática da metilprednisolona em pacientes sob pulsoterapia e, também, em situações de intoxicação aguda e controle terapêutico de medicamentos. 10.5216/ref.v1i2.1759

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2007-10-19

Como Citar

CUNHA, L. C. da. VALIDAÇÃO ANALÍTICA EM CLAE-UV PARA MONITORAÇÃO PLASMÁTICA DA METILPREDNISOLONA E DO SUCCINATO DE METILPREDNISOLONA. Revista Eletrônica de Farmácia, Goiânia, v. 1, n. 2, 2007. DOI: 10.5216/ref.v1i2.1759. Disponível em: https://revistas.ufg.br/REF/article/view/1759. Acesso em: 31 jan. 2023.

Edição

Seção

Artigos Originais