ANTICORPOS MONOCLONAIS NA TERAPÊUTICA DA PSORÍASE

Autores

  • Ana Carolina Almeida da Silva
  • Ana Paula Franco Lambert

DOI:

https://doi.org/10.5216/ref.v8i4.16618

Palavras-chave:

Psoríase, anticorpos monoclonais, terapia combinada

Resumo

Psoríase é uma doença de pele inflamatória crônica, imuno-mediada e citada como uma das dermatoses mais freqüentes na prática clínica. As manifestações cutâneas e articulares da psoríase apresentam um profundo impacto na qualidade de vida de muitos pacientes. Assim, a busca por um tratamento eficaz se faz necessária. Terapias sistêmicas tradicionais para psoríase apresentam potencial toxicidade à longo prazo, além de muitas vezes não alcançarem o sucesso terapêutico desejado. A produção de medicamentos biológicos com alvos específicos na regulação da resposta imune pode controlar os sintomas e o progresso das artrites e outras doenças auto-imunes. Anticorpos e derivados de anticorpos constituem 20% dos produtos biofarmacêuticos hoje em desenvolvimento. Os avanços na biotecnologia possibilitaram a manipulação de anticorpos monoclonais com o objetivo de torná-los menos imunogênicos e mais específicos, diminuindo os efeitos adversos e aumentando sua eficácia. Atualmente existem quatro anticorpos monoclonais aprovados para uso na psoríase, sendo um humanizado, um quimérico e outros dois totalmente humanos. 10.5216/ref.v8i4.16618

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2011-12-21

Como Citar

DA SILVA, A. C. A.; LAMBERT, A. P. F. ANTICORPOS MONOCLONAIS NA TERAPÊUTICA DA PSORÍASE. Revista Eletrônica de Farmácia, Goiânia, v. 8, n. 4, p. 18, 2011. DOI: 10.5216/ref.v8i4.16618. Disponível em: https://revistas.ufg.br/REF/article/view/16618. Acesso em: 9 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos Originais