SIBUTRAMINA SOB A ÓPTICA DA QUÍMICA MEDICINAL

Autores

  • Talita Massoni
  • Edna Sayuri Suyenaga Universidade Feevale

DOI:

https://doi.org/10.5216/ref.v9i4.15096

Palavras-chave:

sibutramina, estrutura química, química medicinal, REA

Resumo

A obesidade é uma enfermidade que desencadeia diversas comorbidades. O tratamento farmacoterapêutico se faz necessário em alguns casos, sendo a sibutramina um dos principais agentes anti-obesidade. Atualmente, a sua utilização em nível mundial é controversa. Há relatos de vantagem quanto ao seu emprego em relação aos demais anorexígenos, porém dados atuais apresentam resultados preocupantes, principalmente riscos em nível de sistema cardiovascular. Visando compreender a sua química medicinal foi realizado um levantamento bibliográfico. Após análise de sua correlação estrutura química versus atividade farmacológica, pode-se observar que a sibutramina é um derivado anfetamínico, com afinidade aos receptores adrenérgicos tipo alfa-1 e beta-3, o que sugere a sua aplicação na redução do peso, porém também podem ser os responsáveis pelos prováveis efeitos indesejados. 10.5216/ref.v9i4.15096

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Talita Massoni

Discente do curso de Ciências Farmacêuticas da Universidade Feevale - Campus II • CEP 93352-000 Novo Hamburgo • RS • Brasil.

Edna Sayuri Suyenaga, Universidade Feevale

Instituto de Ciências da Saúde. Professora Titular do curso de Ciências Farmacêuticas.

Downloads

Publicado

2012-12-30

Como Citar

MASSONI, T.; SUYENAGA, E. S. SIBUTRAMINA SOB A ÓPTICA DA QUÍMICA MEDICINAL. Revista Eletrônica de Farmácia, Goiânia, v. 9, n. 4, p. 10, 2012. DOI: 10.5216/ref.v9i4.15096. Disponível em: https://revistas.ufg.br/REF/article/view/15096. Acesso em: 18 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos Originais