A RESISTÊNCIA AOS FÁRMACOS ANTI-RETROVIRAIS: O CASO DA TRANSCRIPTASE REVERSA DO HIV-1

Autores

  • Monique Araujo de Brito

DOI:

https://doi.org/10.5216/ref.v8i2.14961

Palavras-chave:

Química Farmacêutica, Ensino, Resistência a Medicamentos, HIV-1.

Resumo

Em algumas disciplinas do currículo do farmacêutico, do médico, do biólogo, do enfermeiro, entre outros, frequentemente o professor se depara com a explicação sobre como as mutações enzimáticas levam à resistência aos medicamentos. Este é um assunto de considerada relevância, pois a resistência vem se tornando um problema cada vez mais difícil. Um dos exemplos mais relevantes é o da enzima transcriptase reversa (TR) do HIV-1. A TR é uma enzima alvo de fármacos importantes no combate ao HIV-1 e a cada mês surge na literatura científica exemplos de resistência aos medicamentos. Nesse sentido, como proposta de explicação na sala de aula, foi escolhido um fármaco inibidor não-nucleosídeo da TR para se mostrar como as mutações afetam a ação do fármaco. Foi realizada a pesquisa no banco de dados de proteínas (Protein Data Bank, PDB) da nevirapina complexada com diferentes mutantes da transcriptase reversa. Os mutantes foram escolhidos com base em relatos de resistência da literatura. A aula incorporando as estruturas químicas dos aminoácidos torna-se atraente para os alunos, que sedimentam melhor o conhecimento adquirido. Isso contribui para uma melhor relação ensino-aprendizagem.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

07-07-2011

Como Citar

de Brito, M. A. (2011). A RESISTÊNCIA AOS FÁRMACOS ANTI-RETROVIRAIS: O CASO DA TRANSCRIPTASE REVERSA DO HIV-1. Revista Eletrônica De Farmácia, 8(2), 20. https://doi.org/10.5216/ref.v8i2.14961

Edição

Seção

Artigos Originais