MICROALBUMINÚRIA E CLEARANCE DE CREATININA: IMPORTÂNCIA DO DIAGNÓSTICO PRECOCE NA PREVENÇÃO DA DISFUNÇÃO RENAL EM PACIENTES COM DIABETES MELLITUS TIPO 1

Autores

  • Herbert Ary Sisenando Departamento de Patologia / Universidade Federal Fluminense
  • Hugo Wagner Coelho Costa Vieira Departamento de Análises Clínicas e Toxicológicas / Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Fabrício Freitas Sousa Costa
  • Ana Karla Silva Departamento de Análises Clínicas e Toxicológicas / Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Maria Gorete do Nascimento Santos Departamento de Análises Clínicas e Toxicológicas / Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Telma Maria Araujo Moura Lemos Correio Departamento de Análises Clínicas e Toxicológicas / Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Ricardo Fernando Arrais Departamento de Pediatria / Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Tereza Neuma Sousa Brito Departamento de Análises Clínicas e Toxicológicas / Universidade Federal do Rio Grande do Norte

DOI:

https://doi.org/10.5216/ref.v8i1.13807

Palavras-chave:

Diabetes Mellitus Tipo 1, Microalbuminúria, Creatinina, Diagnóstico Precoce.

Resumo

O diabetes mellitus é um distúrbio metabólico e hemodinâmico que aumenta o risco de desenvolvimento de complicações, especialmente a disfunção renal. O objetivo do estudo foi avaliar a microalbuminúria e o clearance de creatinina em um grupo de pacientes com diabetes mellitus tipo 1 e observar sua correlação com o tempo de diagnóstico da doença. Do total de participantes, 86,67% tinham até 5 anos de doença; com uma hemoglobina glicada média de 11,6% e com mediana e quartis de 7,85 mg/L (Q25=6,0; Q75=18,55) para microalbuminúria, 65,55 mL/min/1,73m2 (Q25=41,35; Q75=98,40) e 73,3 mL/min/1,73m2 (Q25=42,10; Q75=98,90) para os clearance de creatinina dosado e estimado pela fórmula de Schwartz, respectivamente. O coeficiente de correlação de Pearson foi de 0,2578 (-0,02077-0,4958) para a microalbuminúria e de -0,0428 (-0,4362-0,2794) para o clearance de creatinina. Embora as medianas observadas para microalbuminúria e clearance de creatinina tenham valores dentro do padrão de normalidade, o estudo detectou pacientes com diagnóstico de microalbuminúria e de clearance de creatinina diminuído antes dos 5 anos de doença. Com base nos resultados, o estudo sugere que a microalbuminúria deva ser realizada desde o momento em que se diagnostica o diabetes mellitus tipo 1, prevenindo o aparecimento de possíveis complicações renais. 10.5216/ref.v8i1.13807

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Herbert Ary Sisenando, Departamento de Patologia / Universidade Federal Fluminense

possui graduação em Farmácia, com habilitação em Análises Clínicas e Toxicológicas, mestre em Ciências da Saúde pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte e doutorado em Saúde Pública e Meio Ambiente pela Fundação Oswaldo Cruz. Tem experiência na área de farmácia e meio ambiente, com ênfase nas análises clínicas e toxicológicas, atuando principalmente nos seguintes temas: mutagênese, genotoxicidade, fitoterápicos, toxicologia ambiental e ecotoxicologia.

Downloads

Publicado

2011-04-05

Como Citar

SISENANDO, H. A.; VIEIRA, H. W. C. C.; COSTA, F. F. S.; SILVA, A. K.; SANTOS, M. G. do N.; CORREIO, T. M. A. M. L.; ARRAIS, R. F.; BRITO, T. N. S. MICROALBUMINÚRIA E CLEARANCE DE CREATININA: IMPORTÂNCIA DO DIAGNÓSTICO PRECOCE NA PREVENÇÃO DA DISFUNÇÃO RENAL EM PACIENTES COM DIABETES MELLITUS TIPO 1. Revista Eletrônica de Farmácia, Goiânia, v. 8, n. 1, p. 8, 2011. DOI: 10.5216/ref.v8i1.13807. Disponível em: https://revistas.ufg.br/REF/article/view/13807. Acesso em: 21 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos Originais