CARBAMAZEPINA: UMA REVISÃO DE LITERATURA

Autores

  • Diego Santos de Araújo
  • Helen Rute Rodrigues da Silva
  • Rivelilson Mendes de Freitas

DOI:

https://doi.org/10.5216/ref.v7i4.13230

Palavras-chave:

Carbamazepina, Anticonvulsivante, Farmacocinética, Neurotoxicidade, Interação medicamentosa.

Resumo

A carbamazepina (CBZ) é um derivado tricíclico do iminostibeno. Estruturalmente é similar aos fármacos psicoativos (imipramina, clorpromazina e maprotilina) e compartilha algumas características estruturais com outros anticonvulsivantes (fenitoína, clonazepam e fenobarbital). O objetivo do presente trabalho foi conduzir uma revisão de literatura sobre os aspectos farmacológicos da CBZ, incluindo o mecanismo de ação que possa explicar os efeitos neurotóxicos e a toxicidade aguda e em longo prazo. Métodos: Para tanto foi realizada uma revisão da literatura usando as palavras-chaves carbamazepine, anticonvulsant, pharmacocinetic, neurotoxicity e intoxication, por intermédio do PUBMED, SCIENCEDIRECT, MEDLINE e LILACS. A busca incluiu todos os artigos publicados no período entre 1974 e 2009. Resultados: Ainda existem muitas questões sem respostas sobre a farmacologia da CBZ e a fisiologia dos efeitos tóxicos dessa substância. A simples descrição do mecanismo de ação é insuficiente para explicar todos os efeitos induzidos pela CBZ. Conclusão: Existem poucas informações na literatura sobre a farmacologia e o mecanismo de ação da CBZ que possam explicar os efeitos neurotóxicos e os efeitos adversos. São necessários mais estudos para que o profissional de saúde possa obter dados farmacocinéticos e farmacodinâmicos, a fim de prevenir os efeitos tóxicos da CBZ. 10.5216/ref.v7i4.13230

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2011-02-16

Como Citar

DE ARAÚJO, D. S.; DA SILVA, H. R. R.; DE FREITAS, R. M. CARBAMAZEPINA: UMA REVISÃO DE LITERATURA. Revista Eletrônica de Farmácia, Goiânia, v. 7, n. 4, p. 16, 2011. DOI: 10.5216/ref.v7i4.13230. Disponível em: https://revistas.ufg.br/REF/article/view/13230. Acesso em: 4 out. 2022.

Edição

Seção

Artigos Originais