SERVIÇO DE PRÉ-NATAL DA ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA: RESULTADOS PRELIMINARES DOS ACOMPANHAMENTOS DAS GESTANTES

Autores

  • Dandara Denísia de Brito Melo
  • Thiago Abel Teixeira Rocha
  • Rivelilson Mendes de Freitas

DOI:

https://doi.org/10.5216/ref.v7i3.12895

Palavras-chave:

saúde pública, farmacoepidemiologia, automedicação, gestantes

Resumo

As gestantes podem apresentar problemas de saúde que muitas vezes requerem o uso de medicamentos. Portanto, os estudos de utilização de medicamentos durante a gravidez são relevantes devido aos riscos potenciais que os medicamentos podem causar no feto em desenvolvimento. Diante disso, o objetivo desse estudo foi delinear o perfil socioeconômico das gestantes usuárias dos serviços de pré-natal da Estratégia de Saúde da Família (ESF) no município de Picos, Piauí, assim como detectar os principais problemas de saúde e as principais hipóteses diagnósticas. Além disso, foi realizado um levantamento dos principais fármacos prescritos e os mais utilizados na prática da automedicação. O estudo realizado foi do tipo exploratório descritivo em abordagem quantitativa, com emprego da técnica de observação direta por meio da análise prospectiva das fichas dos atendimentos realizados as gestantes usuárias do serviço de pré-natal do ESF no município de Picos. Das 40 gestantes entrevistadas, 52% tinham idade entre 21 a 30 anos, 55% eram da cor da pele autorreferida parda e 55% eram casadas. Adicionalmente, 33% tinham o ensino médio completo e 62% tinham renda mensal familiar de 1 a 2 salários-mínimos. O principal problema relacionado à saúde identificado foi a dependência a cafeína e a hipótese diagnóstica mais comum foi a gastrite. Das gestantes que tinham feito uso de medicamentos por meio de prescrição médica foi observado consumo frequente de ácido fólico (34%). Com relação aos medicamentos utilizados durante a prática da automedicação o mais utilizado foi o paracetamol (36%). Segundo o estudo, o perfil das gestantes atendidas no serviço de pré-natal da ESF do município de Picos é de mulheres jovens, pardas, casadas, com renda familiar baixa e com escolaridade média. Oitenta e nove por cento das gestantes entrevistadas faz uso de medicamentos com prescrição médica e 11% delas relatou fazer uso de medicamentos sem prescrição médica. 10.5216/ref.v7i3.12895

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2011-01-04

Como Citar

MELO, D. D. de B.; ROCHA, T. A. T.; FREITAS, R. M. de. SERVIÇO DE PRÉ-NATAL DA ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA: RESULTADOS PRELIMINARES DOS ACOMPANHAMENTOS DAS GESTANTES. Revista Eletrônica de Farmácia, Goiânia, v. 7, n. 3, p. 9, 2011. DOI: 10.5216/ref.v7i3.12895. Disponível em: https://revistas.ufg.br/REF/article/view/12895. Acesso em: 2 mar. 2024.

Edição

Seção

Artigos Originais