O Rio de Janeiro no tempo de D. JOÃO VI DOI 10.5216/o.v8i11.9368

Autores

  • Carollina Carvalho Ramos de Lima Universidade Federal de Goiás - Campus Catalão

DOI:

https://doi.org/10.5216/o.v8i11.9368

Resumo

Em 1808, a crise política que forçou a vinda da Corte portuguesa para o Rio de Janeiro, desencadeou, aqui, importantes transformações, a começar pela imediata abertura dos portos às nações amigas, decisão que favoreceu o aumento das transações comerciais e um maior intercâmbio cultural. Além disso, durante a estada do monarca lusitano, foram criadas escolas, museus e bibliotecas; procedeu-se à urbanização da capital e, muito importante, teve início a circulação da imprensa nacional. Em meio às comemorações do bicentenário da vinda da Família Real para o Brasil, este artigo pretende elucidar algumas, das muitas mudanças ocorridas no quotidiano da capital do Império luso-brasileiro, depois de 1808, atentando, especialmente, para certas dimensões da vida dos habitantes da capital fluminense. Palavras-chave: Rio de Janeiro, D. João VI, século XIX.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carollina Carvalho Ramos de Lima, Universidade Federal de Goiás - Campus Catalão

Mestranda pelo Programa de pós-graduação em História Social e da Cultura pela Universidade Estadual Paulista – UNESP/Franca, onde bacharelou e licenciou em História. Bolsista CAPES

Downloads

Publicado

2010-03-28

Como Citar

LIMA, C. C. R. de. O Rio de Janeiro no tempo de D. JOÃO VI DOI 10.5216/o.v8i11.9368. OPSIS, Goiânia, v. 8, n. 11, p. 341–360, 2010. DOI: 10.5216/o.v8i11.9368. Disponível em: https://revistas.ufg.br/Opsis/article/view/9368. Acesso em: 20 ago. 2022.