Clio e seus artífices: Repensando o fazer histórico DOI10.5216/o.v7i9.9325

Autores

  • Astor Antônio Diehl Universidade de Passo Fundo (RS)

DOI:

https://doi.org/10.5216/o.v7i9.9325

Resumo

Objetiva-se compreender os desdobramentos do momento de superação (constituição e dissolução do topus moderno) da fase de críticas lineares aos princípios e à historiografia moderna e contemporânea. O momento parece ser de posturas dialógicas, percebidas a partir da constante busca de significados das representações historiográficas e, sobretudo, dos sentidos pedagógicos do conhecimento histórico no momento presente. Esta postura implica necessariamente em inventariarmos os limites e as possibilidades do conhecimento a partir de três perspectivas interligadas: a teórica, a metodológica e a historiográfica. Palavras-chave: história, historiografia contemporânea, teorias da história; metodologia da história.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Astor Antônio Diehl, Universidade de Passo Fundo (RS)

Professor do Curso de História e do Mestrado em Educação da Universidade de Passo Fundo (RS).

Downloads

Publicado

2010-03-27

Como Citar

DIEHL, A. A. Clio e seus artífices: Repensando o fazer histórico DOI10.5216/o.v7i9.9325. OPSIS, Goiânia, v. 7, n. 9, p. 09–46, 2010. DOI: 10.5216/o.v7i9.9325. Disponível em: https://revistas.ufg.br/Opsis/article/view/9325. Acesso em: 24 set. 2022.

Edição

Seção

Dossiê Teoria da História