ABOLIÇÃO, PODER E LIBERDADE NO NORTE DE GOYAZ: O CASO DE FAUSTINO PEREIRA E JOAQUIM AYRES.

Autores

  • Radamés Vieira Nunes UFT

DOI:

https://doi.org/10.5216/o.v19i1.53833

Palavras-chave:

Norte de Goyaz, Abolição, imprensa, poder

Resumo

Ao longo de toda década de 1880 nas páginas impressas, nas ruas, nos trieiros, clubes e outros ambientes a abolição da escravidão ocupava significativo espaço nas mentes goianas, principalmente em relação às incertezas quanto aos desdobramentos que causaria. Na cidade de Porto Imperial, Joaquim Ayres da Silva, proprietário de escravos, acompanhou de perto as conversas atento aos muitos posicionamentos sobre a questão. Nesse trabalho a proposta é perscrutar a trama entre poder e liberdade que envolveu Joaquim Ayres e um negro chamado Faustino Pereira de Oliveira, bem como seus desdobramentos atuais na cidade portuense. O episódio, que ainda suscita ecos, foi acompanhado pelos principais jornais goianos se tornando um símbolo do jogo de forças travado entre a população goiana sobre como as ideias abolicionistas se assentariam em Goiás.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Radamés Vieira Nunes, UFT

Doutor em História; Professor do curso de história da Universidade Federal do Tocantins

Referências

BENJAMIN, Walter. Teses sobre o conceito da história. In. Obras escolhidas. Vol. 1. Magia e técnica, arte e política. Ensaios sobre literatura e história da cultura. São Paulo: Brasiliense, 1987, p. 222-232.

CHALHOUB, Sidney. Visões da liberdade: uma história das últimas décadas da escravidão na corte. São Paulo: Companhia das Letras, 1990.

CONRAD, Robert. Os últimos anos da escravatura no Brasil: 1850-1888. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1978.

CAVALCANTE, Mariado Espírito Santo. Tocantins: o movimento separatista do Norte de Goiás 1821-1988. São Paulo: Garibaldi, Editora da UCG, 1999.

CHAUL, Nasr Nagib Fayad. Caminhos de Goiás: da construção da decadência aos limites da modernidade. Goiânia: Editora UFG, 2010.

FLORENTINO, Manolo. Em costas negras: uma história do tráfico atlântico de escravos entre a África e o Rio de Janeiro (séculos XVIII e XIX). Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 1995.

________ (org.). Tráfico, cativeiro e liberdade (Rio de Janeiro, séculos XVII-XIX). Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2005.

GOYAZ. Goyaz, 03/12/1886; 10/04/1886; 18/11/1887; 7/04/1888; 16/08/1888; 8/04/1890.

MACHADO, H. P. T. . ' Teremos grandes desastres, se não houver providências enérgicas e imediatas : a rebeldia dos escravos e a abolição da escravidão. In: Keila Grinberg, Ricardo Salles. (Org.). Brasil Imperial, 1870-1899. 1o. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2009, v. 3, p. 367-400.

MATTOS, Ilmar Rohloff. O tempo saquarema: a formação do Estado Imperial. São Paulo: Hucitec, 1990.

NABUCO, Joaquim. O abolicionismo. São Paulo: Publifolha, 2000.

NUNES, Radamés Vieira. Francisco Ayres, lembranças de um porvir: Porto Nacional e a modernização no norte de Goyaz. 2016. Tese (Doutorado em História) - Pós-graduação em História, Linha Política e Imaginário, Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2016.

OLIVEIRA, Maria de Fátima. Cidades Ribeirinhas do Rio Tocantins: Identidades e fronteiras. Goiânia. Tese (Doutorado em História), Universidade Federal de Goiás, 2007.

PARENTE, Temis G. Fundamentos históricos do Estado do Tocantins. Goiânia: UFG, 1999.

PUBLICADOR GOYANO. Goyaz, 2/08/1885; 9/08/1885; 01/05/1886; 11/12/1886; 23/06/1888.

SCHWARCZ, Lilia. O espetáculo das raças: cientistas, instituições e questão racial no Brasil 1870-1930. São Paulo, Cia. das Letras, 1993.

Downloads

Publicado

2019-10-08

Como Citar

NUNES, R. V. ABOLIÇÃO, PODER E LIBERDADE NO NORTE DE GOYAZ: O CASO DE FAUSTINO PEREIRA E JOAQUIM AYRES. OPSIS, Goiânia, v. 19, n. 1, p. 1–14, 2019. DOI: 10.5216/o.v19i1.53833. Disponível em: https://revistas.ufg.br/Opsis/article/view/53833. Acesso em: 8 ago. 2022.