Borgonha e Trastâmara: o conceito de legitimidade monárquica em atualização frente às tradicionais pretensões da nobreza extraterritorial ibérica (1369-1373)

Autores

  • Fátima Regina Fernandes Universidade Federal do Paraná (UFPR) CNPq Núcleo de Estudos Mediterrânicos (NEMED)

DOI:

https://doi.org/10.5216/o.v18i1.46410

Resumo

Analisaremos a sociedade política do reino português na época de D. Fernando I (1367-83), último rei da dinastia portuguesa de Borgonha. Seu reinado marcaria a entrada da Península Ibérica na Guerra dos Cem Anos (1337-1453). Um contexto de partidarizações instáveis em relação aos dois reinos em guerra, francês e inglês, cujos respectivos aliados formariam os blocos anglo-luso e franco-trastamarista. No campo espiritual os partidarismos gerariam dois fenômenos em sequência, primeiro o Exílio de Avignon (1305-1377) seguido do Cisma do Ocidente (1378-1422) que promovem a fratura da Cristandade latina entre os oponentes no conflito. Neste contexto os reis com legitimidade de sangue perdiam campo sobre seus concorrentes, os usurpadores ou sucessores ilegítimos. A sociedade política mais tradicional, por sua vez, faria eco às pretensões dos legitimistas enquanto tivessem interesses e projetos comuns. A práxis política e militar mostraria neste contexto a dialética própria dos períodos de transição e demandaria uma atualização dos conceitos de legitimidade, fidelidade e traição. As elaborações jurídico-legislativas da Escola de Bolonha se difundiriam na medida das necessidades do contexto e promoveriam uma sistematização de conceitos e práticas de governação pautadas no Direito Comum. A abordagem que propomos a partir da linha da Nova História Política concebe estes dados contextuais para além de sua dimensão factual analisando os ecos de uma transformação mais profunda de conceitos que sustentam em bases atualizadas a legitimidade de sucessão monárquica

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fátima Regina Fernandes, Universidade Federal do Paraná (UFPR) CNPq Núcleo de Estudos Mediterrânicos (NEMED)

Professora titular permanente do Departamento de História da UFPR e do Programa de Pós-Graduação em História da UFPR.

Referências

FONTES:

ARNAUT, Salvador Dias (ed.). LOPES, Fernão. Crónica de D. Fernando. Porto: Civilização, 1966.

Arquivo Nacional da Torre do Tombo, Chancelaria de D. Fernando I, 4 livros.

COSTA, Mario Júlio de Almeida; NUNES, Eduardo Borges (eds.). Ordenações Afonsinas. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1984, 5 vols.

FARIA, A. Machado de (ed.). Livro de Linhagens do Século XVI. Lisboa: Academia Portuguesa de História, 1956.

MARQUES, António Henrique Rodrigo de Oliveira; DIAS, Nuno José Pizarro Pinto (eds.). Cortes Portuguesas. Reinado de D. Fernando I (1367-1383). Lisboa: Centro de Estudos Históricos da Universidade Nova de Lisboa -INIC/ JNICT,1990-3, 2vols.

ORDUÑA, Germán (ed.). LOPEZ DE AYALA, Pero. Crónica del Rey Don Pedro y del Rey Don Enrique, su Hermano, hijos del rey don Alfonso Onceno. Buenos Aires: SECRIT, 1997, 2 vols.

PERES, Damião (ed.). LOPES, Fernão. Crónica de D. Pedro I. Porto: Civilização, 1965.

SANTOS, Fr. Manoel dos. Monarquia Lusitana. 3 ª ed., Lisboa: Imprensa Nacional, 1988, vol.VIII.

SILVA, Nuno J. E. Gomes; RODRIGUES, M. Teresa Campos (eds). Livro das Leis e Posturas (1249-1393). Lisboa: Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, 1971.

TAROUCA, Carlos da Silva (ed.). Crónica dos Sete Primeiros Reis de Portugal. Lisboa: Academia Portuguesa de História, 1952-4, 3 vols.

BIBLIOGRAFIA:

ALMADA, José de. A Aliança Inglesa. Subsídios para o seu estudo. Lisboa: Imprensa Nacional-Casa da Moeda, 1946, v.I.

ALMADA, José de. Para a História da aliança luso-britânica. Lisboa: Imprensa Nacional de Lisboa, 1955.

ARNAUT, Salvador Dias. A crise nacional dos fins do século XIV: a sucessão de D. Fernando. Coimbra: Instituto de Estudos Históricos Dr. António de Vasconcelos, 1960, 2 vols.

AYALA MARTINEZ, Carlos de; VILLALBA RUIZ DE TOLEDO, Francisco Javier. Precedentes lejanos de Ia crisis de 1383: circunstancias políticas que acompañan al tratado de Santarém. Actas das II Jornadas Luso-Espanholas de História Medieval, Centro de História da Universidade do Porto- INIC, Porto, v.I, p.233-45, 1989 .

CRISTINO, Luciano Coelho. As Cortes de Leiria de 1372. Leiria: Câmara Municipal de Leiria, 1973.

FAVIER, Jean. Les Papes d’Avignon. Poitiers: Fayard, 2006.

FERNANDES, Fátima Regina. A construção da sociedade política de Avis à luz da trajetória de Nuno Álvares Pereira. Actas das VI Jornadas Luso-Espanholas de Estudos Medievais. A guerra e a sociedade na Idade Média, Porto de Mós/Alcobaça/ Batalha, 2008, Sociedade Portuguesa de Estudos Medievais (SPEM) /Sociedad Española de Estudios Medievales (SEEM), v. I, p. 421-46, 2009.

FERNANDES, Fátima Regina. A crise da Cristandade unitária e seus reflexos na Península Ibérica tardo-medieval. Revista Estudos Ibero-Americanos. Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), Porto Alegre, vol. 40, p.367-384, 2014.

FERNANDES, Fátima Regina. A dimensão política do reino português na segunda metade do século XIV: os matrimônios régios e o ocaso de uma dinastia. Cuadernos de Historia de España, Universidad de Buenos Aires (UBA), Buenos Aires, vol. LXXXV-LXXXVI, p.199-214, 2011-2.

FERNANDES, Fátima Regina. A monarquia portuguesa e o Cisma do Ocidente (1378-85). In: FRIGHETTO, Renan; GUIMARÃES, Marcella Lopes (Orgs). Instituições, poderes e jurisdições. Curitiba: Juruá Editora, 2007, p. 137-55.

FERNANDES, Fátima Regina. Dinis, o Infante e Nuno, o Condestável: dois modelos de nobre na época de Aljubarrota. Revista Territórios & Fronteiras. Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT), Cuiabá, vol. 5, p.57-65, 2011.

FERNANDES, Fátima Regina. Do pacto e seus rompimentos. Curitiba: Prismas, 2016.

FERNANDES, Fátima Regina. Sociedade e poder na baixa Idade Média portuguesa. Curitiba: Editora da Universidade Federal do Paraná, 2003.

FREIRE, Anselmo Braancamp. Os Brasões da Sala de Sintra. Coimbra: Imprensa da Universidade, 1921-30, 3vols.

GARCÍA ORO, José. La nobleza gallega en Ia Baja Edad Media. Santiago de Compostela: Bibliofilos Gallegos –Biblioteca de Galicia, vol. XX, 1981.

GARCÍA TORAÑO, Paulino. El Rey Don Pedro el Cruel y su mundo. Madrid : Marcial Pons, 1996.

IGLESIA FERREIROS,Aquilino. Historia de la traicion : la traición regia en Leon y Castilla. Santiago de Compostela : Editora de la Universidad de Santiago de Compostela, 1971.

MATTOSO, José. A guerra civil de 1319-24. In: MATTOSO, José (Org.) Portugal medieval: novas interpretações. 2ª ed, Lisboa: Imprensa Nacional-Casa da Moeda (INCM), 1982, p. 293-308.

MOCELIM, Adriana. “Segundo conta a estória”. A Crônica Geral de Espanha de 1344 como um retrato modelar da sociedade hispânica tardo medieval. Tese de Doutorado apresentada e aprovada junto ao Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal do Paraná, 2013.

MOLLAT, Guillaume. Les Papes d’Avignon (1305-1378). Paris: Librairie Victor Lecoffré, 1912.

MOXÓ ORTIZ DE VILLAJOS, Salvador de. De la nobleza vieja a la nobleza nueva. Cuadernos de História (anexos da Revista Hispânia), Madrid: Instituto Jerónimo Zurita, vol. 3, p.1-210, 1969.

OLIVERA SERRANO, César. Beatriz de Portugal: la pugna dinástica Avis-Trastâmara. Cuadernos de Estudios Gallegos. Consejo Superior de Investigaciones Científicas (CSIC) / Xunta de Galícia, Santiago de Compostela, 2005.

PIZARRO, José Augusto de Sottomayor. Linhagens Medievais Portuguesas: Genealogias e Estratégias (1279-1325), http://hdl.handle.net/10216/18023. Porto: FLUP, 1997 (acesso 23/08/2016).

RODRÍGUEZ AMAYA, Esteban. Don Juan Alfonso de Albuquerque, Canciller de D. Pedro el Cruel. Revista de Estudios Extremeños, vol. V, p.190-2, 1949.

RUSSELL, Peter Edward. A intervenção inglesa na Península Ibérica durante a Guerra dos Cem Anos. Lisboa: Imprensa Nacional -Casa da Moeda (INCM), 2000.

RUSSELL, Peter Edward. Fernão Lopes e o Tratado de Santarém. Revista Portuguesa de História, Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, Coimbra, vol. V, p.455- 473, 1951.

ULLMANN, Walter. Historia del pensamiento político en la Edad Media. Barcelona: Ariel, 1983.

Downloads

Publicado

2018-05-09

Como Citar

FERNANDES, F. R. Borgonha e Trastâmara: o conceito de legitimidade monárquica em atualização frente às tradicionais pretensões da nobreza extraterritorial ibérica (1369-1373). OPSIS, Goiânia, v. 18, n. 1, p. 98–115, 2018. DOI: 10.5216/o.v18i1.46410. Disponível em: https://revistas.ufg.br/Opsis/article/view/46410. Acesso em: 6 jul. 2022.

Edição

Seção

Dossiê: Os Usos da Memória: Representações do Passado nas Fontes Medievais