Arte e cultura, uma sinonímia imprópria DOI10.5216/o.v14i2.29846

Autores

  • Guilherme Antônio Carneiro de Sant'Ana
  • Simone Maria Rocha

DOI:

https://doi.org/10.5216/o.v14i2.29846

Palavras-chave:

Arte, cultura, mímesis, Comunicação

Resumo

O presente artigo nasceu da percepção de uma imprecisão conceitual comum em trabalhos sobre cinema, qual seja, a propagação de uma ambiguidade entre os termos arte e cultura. No entanto, em termos práticos, o significado atribuído a cada um destes termos parece estar associado a existência de matrizes implícitas que orientam entendimentos específicos acerca do objeto comunicativo – as matrizes artística e culturalista. Partindo das interpretações empreendidas por Paul Ricoeur e Robert Stam acerca da noção aristotélica de mímesis, este artigo procura efetuar uma limpeza do terreno conceitual ao precisar os significados que os termos arte e cultura assumem no interior das matrizes artística e culturalista.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Guilherme Antônio Carneiro de Sant'Ana

Mestre em Comunicação Social pela Universidade Federal de Minas Gerais.

Simone Maria Rocha

Doutora em Comunicação e Cultura pela UFRJ, com pós-doutorado em Comunicação pela UFMG. Professora do PPGCOM da UFMG e Coordenadora do Grupo de Pesquisa em Comunicação, mídia e cultura.

Downloads

Publicado

2014-10-17

Como Citar

CARNEIRO DE SANT’ANA, G. A.; ROCHA, S. M. Arte e cultura, uma sinonímia imprópria DOI10.5216/o.v14i2.29846. OPSIS, Goiânia, v. 14, n. 2, p. 255–278, 2014. DOI: 10.5216/o.v14i2.29846. Disponível em: https://revistas.ufg.br/Opsis/article/view/29846. Acesso em: 2 out. 2022.