Tempo de trabalho a luta pela redução da jornada e a centralidade da teoria do valor-trabalho DOI 10.5216/o.v13i2.23054

Autores

  • José Lima Soares Universidade Federal de Goiás, Campus Catalão, Catalão, GO

DOI:

https://doi.org/10.5216/o.v13i2.23054

Palavras-chave:

Tempo de trabalho, valor-trabalho, intensidade da jornada, sindicalismo.

Resumo

O artigo procura refletir a ausência da pauta sindical de questões que tratem diretamente do tempo de trabalho, da flexibilização e da intensidade do trabalho, bem como da centralidade do trabalho em nossa contemporaneidade. Analisando algumas características sobre o tempo de contratação de trabalhadores no mercado de trabalho brasileiro, demonstra-se que existe uma grande distância entre o discurso, a leitura acadêmica sobre o tema e a realidade. A redução da jornada de trabalho é um tema multifacetado, que caracteriza um debate complexo e polêmico, suscitando o interesse de diversos agentes sociais interessados nessa pauta, mas que possuem diferentes concepções acerca do debate, em razão da heterogeneidade de valores em jogo. Argumenta-se neste trabalho que as implicações sociais de uma medida política de redução da jornada de trabalho não garante o tempo livre e a emancipação humana. Contudo, entende-se que essa redução é uma tendência histórica, vinculada ao desenvolvimento socioeconômico. Há diferenças marcantes entre o discurso sindical, a simpatia política pela medida, as afirmações teóricas e as evidências empíricas sobre a temática. Entendemos que a luta dos Sindicatos e das Centrais Sindicais por 40 horas semanais é de grande importância para os trabalhadores, mas é necessário incluir na pauta sindical a questão da intensidade do trabalho. Por fim, procuramos enfocar, ainda, a dimensão ontológica da teoria do valor a partir da concepção marxiana. Palavras-chave: Tempo de trabalho, valor-trabalho, intensidade da jornada, sindicalismo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2014-02-16

Como Citar

SOARES, J. L. Tempo de trabalho a luta pela redução da jornada e a centralidade da teoria do valor-trabalho DOI 10.5216/o.v13i2.23054. OPSIS, Goiânia, v. 13, n. 2, p. 248–372, 2014. DOI: 10.5216/o.v13i2.23054. Disponível em: https://revistas.ufg.br/Opsis/article/view/23054. Acesso em: 24 set. 2022.

Edição

Seção

Artigos