Aproximações e perspectivas: um breve inventário sobre a produção de Políticas Públicas Materno-Infantis no sul de Santa Catarina DOI 10.5216/o.v12i1.18321

Autores

  • Ismael Gonçalves Alves Doutorando no Programa de Pós Graduação em História - UFPR- PGHIS

DOI:

https://doi.org/10.5216/o.v12i1.18321

Palavras-chave:

Políticas Públicas, Camadas Populares, Santa Catarina, Maternidade, Infância

Resumo

A proposta deste artigo é analisar aspectos relevantes na produção de políticas públicas materno-infantis no sul do Estado de Santa Catarina, destinadas às camadas populares ligadas as atividades carboníferas. Embora o Estado brasileiro tenha ampliado consideravelmente, desde o início do século XX, os serviços de assistência social através das agências específicas, estes benefícios não foram capazes de abranger todas as camadas da população da mesma forma. Assim, o estudo das políticas assistenciais apresentadas neste artigo possui o intuito de inventariar a participação dos diversos atores sociais – Estado, entidades filantrópicas, empresariado local – que contribuíram para a formação das primeiras políticas públicas materno-infantis locais, causando profundos impactos na assistência às mães e ao combate da mortalidade infantil; considerados graves entraves para o desenvolvimento local.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2012-12-02

Como Citar

GONÇALVES ALVES, I. Aproximações e perspectivas: um breve inventário sobre a produção de Políticas Públicas Materno-Infantis no sul de Santa Catarina DOI 10.5216/o.v12i1.18321. OPSIS, Goiânia, v. 12, n. 1, p. 223–248, 2012. DOI: 10.5216/o.v12i1.18321. Disponível em: https://revistas.ufg.br/Opsis/article/view/18321. Acesso em: 17 ago. 2022.

Edição

Seção

Dossiê História política e relações de poder