Profissão e performance: um estudo de caso sobre músicos de orquestra

Gabriela Almeida Kronemberger

Resumo


O que torna um músico profissional? Onde se passa a linha de fronteira entre amadores e profissionais?
Neste artigo, buscamos entender como se dá a organização e funcionamento da profissão músico de orquestra, procurando
analisar quais são os critérios sociais legítimos que definem um músico como profissional. Em suma, procuramos
investigar: o que pesa efetivamente para se tornar músico de orquestra e se inserir profissionalmente? Diploma,
currículo ou performance? Nossa pesquisa aponta para a existência de uma lógica específica de funcionamento
do campo artístico-musical, onde a dimensão profissional está diretamente relacionada ao saber fazer/saber tocar, à
qualidade da prática e execução musical, aspectos traduzidos na dimensão da performance.

Palavras-chave: Campo artístico-musical; Processo de profissionalização; Músico de orquestra; Diploma; Performance.

Texto completo:

PDF HTML


DOI: http://dx.doi.org/10.5216/mh.v16i2.45203

Logotipo do IBICT
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.
Permissions beyond the scope of this license may be available at http://www.revistas.ufg.br
Visitantes: contador de visitas