DEBATES EM TORNO DA TEORIA RACIAL E URBANIZAÇÃO NA SÉRIE DE CRÔNICAS “BONS DIAS!” DE MACHADO DE ASSIS

Sálua Francinele RIBEIRO

Resumo


O objetivo desta pesquisa é investigar os posicionamentos do narrador da série “Bons dias!”, Policarpo, criado por Machado de Assis, referentes à: teoria racial, epidemias e ciência, no Brasil do século XIX. Tomaremos como corpus as crônicas da série “Bons dias!”, que abordam tais temáticas. A abolição da escravidão, ocorrida em 13 de Maio de 1888, e outras mudanças que estavam ocorrendo no Brasil no final do século XIX, como a discussão sobre a urbanização da cidade do Rio de Janeiro, o combate às epidemias que assolavam a cidade (como a febre amarela e a malária) e os debates em torno das teorias raciais, permitiram que a série de crônicas “Bons dias!” construísse significados junto aos leitores sobre os últimos acontecimentos. Com a análise das crônicas escolhidas é possível aproximarmos das opiniões de Machado de Assis sobre os acontecimentos do seu tempo. Machado de Assis, “na voz” irônica de Policarpo, observou e comentou as temáticas analisadas, mostrando-se contrário a várias opiniões da elite dominante do Brasil do século XIX, no que diz respeito à teoria racial, epidemias e a ciência no Brasil. Machado de Assis, através de seu personagem, Policarpo se mostrou um crítico de várias atitudes da classe dominante.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5216/lep.v20i2.45822



 

ISSN versão online 2358-1042



Indexações e Bases Bibliográficas

              


   


            

 

   


Associada à ABEC

 

 

 

Creative Commons LicenseEsta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.
Permissions beyond the scope of this license may be available at http://www.revistas.ufg.br