DIAGNÓSTICO FÍSICO–CONSERVACIONISTA NA BACIA DO RIBEIRÃO LAJES, ARAGOMINAS – TO

Francisco Nilson Viana da Paz, Fernando de Morais

Resumo


A sociedade atual tem provocado danos diversos ao meio ambiente pelo uso e ocupação desordenada da terra. O monitoramento, sobretudo em bacias hidrográficas tem se tornado frequente em estudos ambientais no meio acadêmico. O Diagnóstico Físico-conservacionista tem se mostrado eficiente nesse processo, pois tem como finalidade diagnosticar qualitativamente e quantitativamente o grau de degradação ambiental de determinada área. Neste trabalho, o objetivo foi analisar a degradação Ambiental na bacia hidrográfica do ribeirão Lajes em Aragominas, situada na porção norte do estado do Tocantins, mediante aplicação de Diagnóstico Físico-conservacionista, técnicas advindas do Geoprocessamento e Sensoriamento remoto a partir do uso de ferramentas SIGs. Analisou-se a cobertura vegetal no período de 1991 a 2011 e demais parâmetros de caracterização física de bacias hidrográficas, com os quais foram gerados os mapas base para aplicação do Diagnóstico Físico-conservacionista na bacia. Após análise dos dados, constatou-se uma degradação física moderada de 39,96 unidades de risco para toda a bacia e setores B e C, e 43,29 para o setor A, com maior risco de degradação. Conclui-se que o aumento das atividades agropecuárias são as principais causas da degradação física na bacia, provocando substituição da vegetação original por pastagem em função da criação de gado.

Texto completo:

PDF

Referências


AGUIAR, L. M. S.; CAMARGO, A. J. A. Cerrado: Ecologia e Caracterização / editores técnicos. Planaltina, DF: Embrapa Cerrados. Brasília. Embrapa Informações Tecnológica, p 18. 2004.

BELLIA, V.; DIAS, R. (Orgs.). Análise Ambiental e Socioeconômica do Norte do Estado do Tocantins. Projeto de Gestão Integrada da Região do Bico do Papagaio. Secretaria do Planejamento e Meio Ambiente – SEPLAN- (DEZ). Palmas, 2004.

BELTRAME, A. V. Diagnóstico do Meio Físico de Bacias Hidrográficas: modelo e aplicação. Florianópolis: Ed. da UFSC, 1994. 122p.

COELHO, V. H. R.; MONTENEGRO, S. M. G. L.; ALMEIDA, C. N.; LIMA, E. R. V.; NETO, A. R.; MOURA, G. S. S. Dinâmica do uso e ocupação do solo em uma bacia hidrográfica do semiárido brasileiro. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental. v.18, n.1, p.64-72, 2014.

CHRISTOFOLETTI, A. Geomorfologia. Ed. 2ª. Edgard Blucher, São Paulo 1980, 188p.

IBGE. Senso Demográfico 2010. Disponível em . Acesso em 20-12-2013.

_____ Mapa de Clima do Brasil. Disponível em . Acesso em 20-12-2013.

JACOBS, G. A. Erodibilidade de dois latossolos vermelho escuro (textura argilosa e média) em relação a erosividade. 1995. 95 f. Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-graduação em Agronomia - Área de Concentração: Ciências do Solo. Universidade Federal do Paraná. Curitiba, PR. 1995.

LEITE, E. F. Utilização do Geoprocessamento na Análise Ambiental por Diagnóstico Físico-conservacionista: Estudo de Caso na Microbacia Hidrográfica do Córrego Vilas Boas – Miranda, MS. 2007. 139 f. Dissertação de Mestrado – Programa de Pós-graduação Stricto Sensu - Mestrado em Geografia. Universidade Federal do Mato Grosso do Sul. Miranda, MS. 2007.

MENDOZA, M. E.; GRANADOS, E. L.; GENELETTI, D.; PÉREZ-SALICRUP, D. R.; SALINAS, V. Analysing land cover and land use change process at watershed level: A multitemporal study in the Lake Cuitzeo Watershed, Mexico (1975-2003). Applied Geography, v.31, p.237-350, 2011.

OLMOS, F.; DIAS, R. B.; PACHECO, J. F. (Orgs.) Estudo da Flora e da Fauna no Norte do Estado do Tocantins. Projeto de Gestão Ambiental Integrada do Bico do Papagaio. Folha SB.22-Z-D – Araguaína. Estado do Tocantins. Palmas, SEPLAN/DEZ, 2004.

ROCHA, J. S. M.; DALTROZO, C. C. Florestamentos compensatórios para retenção de água em microbacias. Revista Educação Agrícola Superior, v. 23, n1, p. 71-75, 2008.

ROMÃO, P. A. DIAS, R. R.; BORGES, R.S.T. (Orgs.). Projeto de Gestão Ambiental Integrada do Bico do Papagaio. Araguaína. Geomorfologia da Folha SB.22-Z-D – Araguaína. Estado do Tocantins. Palmas, SEPLAN/DEZ, 2002.

SANO, E. E.; ROSA, R.; BRITO, J. L. S.; FERREIRA, L. G. Land cover mapping of the tropical savanna region in Brazil. Environmental monitoring and assessment. v. 166, Issue 1, p.113-124, 2010.

SANO, E. E.; ROSA, R.; BRITO, J. L. S.; FERREIRA, L. G.; BEZERRA, H. S. Mapeamento da cobertura vegetal natural e antrópica do bioma Cerrado por meio de imagens Landsat ETM+. Anais XIV Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto. n. 2004, p. 1199-1206, 2009.

SCAPINI, G. P. Diagnóstico físico-conservacionista e sua relação com a sedimentação e referencias da paisagem. 2006. 94 f. Dissertação de mestrado - Centro de Ciências Rurais, Programa de Pós-graduação em Engenharia Florestal. Universidade Federal de Santa Maria. Santa Maria, RS. 2006.

SOUSA, P. A; BORGES, R.ST.; DIAS, R. R. (Orgs.). Atlas do Tocantins. Subsídios ao Planeamento da Gestão Territorial – SEPLAN – Secretaria do Planejamento e da Modernização da Gestão Pública. 6ª ed. Palmas: SEPLAN, 2012.

TUCCI, C. E. M.; CHARKE, R. T. Impacto das mudanças da cobertura vegetal no escoamento. Revista Brasileira de Recursos Hídricos. Volume 2, n.1 Jan/Jun 1997, UFRGS, Porto Alegre / RS.




DOI: http://dx.doi.org/10.5216/revgeoamb.v0i27.42126

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



 

REVISTA INDEXADA EM: | GeoDados | Latindex | PKP Open Archives Harvester |sumarios.org|e-Revistas| LiVre!|DOAJ 

 

Resultado de imagem para imagens cnpq

 

APOIO

Portal de Periódicos Eletrônicos da Universidade Federal de Goiás.

Programa de Apoio às Publicações Periódicas Científicas da UFG (PROAPUPEC).

Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação da Universidade Federal de Goiás.

 

CONTATO/ENDEREÇO

Universidade Federal de Goiás

Campus Jataí - Unidade Riachuelo - Coordenação de Geografia

Rua Riachuelo, nº 1.530, Setor Samuel Graham - Jataí-GO – Caixa Postal - 03, CEP-75804-020

Fone: (64)3606-8136

E-mail: geoambienteonline@yahoo.com.br