Estratégias educativas para pessoas diabéticas com pé em risco neuropático: síntese de boas evidências

Luciana Catunda Gomes de Menezes, Maria Vilani Cavalcante Guedes, Nádya dos Santos Moura, Roberta Meneses Oliveira, Luara Abreu Vieira, Ariane Alves Barros

Resumo


Objetivou-se identificar as melhores evidências sobre estratégias de educação em saúde utilizadas para ensino-aprendizagem de pessoas com diabetes mellitus e pé em risco neuropático. Revisão integrativa realizada nas bases de dados PubMed, LILACS, CINAHL e SCOPUS em janeiro de 2015, com uma amostra de 14 artigos analisados na íntegra. Nos resultados, as evidências foram apresentadas em quadro-síntese e discutidas em categorias, abrangendo as diferentes estratégias de educação em saúde para prevenção/manejo do pé em risco neuropático (grupal; individual nas consultas ou por telefone; e utilizando tecnologias interativas) e a síntese das melhores evidências da efetividade destas intervenções na redução de complicações do pé diabético. Concluiu-se que todas as estratégias educativas são efetivas na promoção do autocuidado do pé diabético. Porém, as estratégias grupais mostraram maior eficácia, possibilitando melhora significativa nos conhecimentos, atitudes e práticas do cuidado com os pés e com a saúde, em geral, de pacientes diabéticos.

Palavras-chave


Cuidados de Enfermagem; Educação em Saúde; Pé Diabético; Tecnologia Educacional

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.5216/ree.v18.40281

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons A Revista Eletrônica de Enfermagem está licenciada sob uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Logotipo do Ibict