Vivência de famílias de crianças e adolescentes submetidos ao Transplante de Células-Tronco Hematopoéticas

Verônica de Azevedo Mazza, Claudia de Souza, Aline Rigo Estevão, Sérgio Luídes Guimarães, Nen Nalú Alves das Mercês

Resumo


Pesquisa descritiva com abordagem qualitativa, objetiva descrever como as famílias de crianças e adolescentes submetidos ao Transplante de Células-tronco Hematopoéticas vivenciam esta experiência. Realizada entrevista semiestruturada com 16 familiares de crianças e adolescentes submetidos ao transplante entre dezembro de 2014 a março de 2015 no serviço de transplante de medula óssea de um hospital universitário da região sul do Brasil. A análise dos dados ocorreu de acordo com passos descrito por Creswell, com suporte do software IRAMUTEQ. Emergiram desta análise as categorias: a mãe como sujeito ativo no processo do transplante; vivência da família com o transplante; impacto do transplante para a criança e/ou adolescente; e transplante: do medo à esperança. Frente aos resultados desse estudo, torna-se possível ponderar sobre o cuidado realizado pela equipe de enfermagem, tornando-se imprescindível que esses profissionais possam planejar a assistência com foco não apenas no paciente, mas sim em todo seu núcleo familiar.

Palavras-chave


Transplante de Células-Tronco Hematopoéticas; Família; Criança; Adolescente; Enfermagem Pediátrica

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.5216/ree.v18.40131

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons A Revista Eletrônica de Enfermagem está licenciada sob uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Logotipo do Ibict