Infecção pelo vírus Zika na gestação e microcefalia em recém-nascidos: revisão integrativa de literatura

Ana Karina Marques Salge, Thaíla Corrêa Castral, Marília Cordeiro de Sousa, Romilda Rayane Godoi Souza, Ruth Minamisava, Sandra Maria Brunini de Souza

Resumo


A febre pelo vírus Zika é pouco conhecida, sendo que apenas 18% das infecções humanas têm manifestações clínicas. Nos últimos meses, o número de casos de microcefalia neonatal, possivelmente relacionados ao vírus Zika, cresceu significativamente no Brasil, emergindo como um problema de saúde mundial. O objetivo deste estudo foi buscar evidências na literatura, para reunir e sintetizar o conhecimento produzido sobre relação entre a infecção pelo vírus Zika durante a gestação e as consequências neonatais, por meio de revisão integrativa da literatura. A busca das referências nas bases BVS, PubMed, CINAHL, Web of Science e sites governamentais (Ministério da Saúde e FIOCRUZ) e da World Health Organization permitiu identificação de quatro artigos e quatro protocolos que se adequaram aos critérios estabelecidos. Os artigos possuem baixo nível de evidência, porém permitem constatar evidências da transmissão transplacentária do vírus Zika, porém ainda não há comprovação que o vírus Zika desencadeie a microcefalia.

Palavras-chave


Infecção pelo Zika virus; Microcefalia; Gravidez; Recém-Nascido; Enfermagem em Saúde Comunitária

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.5216/ree.v18.39888

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons A Revista Eletrônica de Enfermagem está licenciada sob uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Logotipo do Ibict