Fluxo assistencial de usuárias com câncer de mama na rede pública de atenção à saúde

Silvia Rosa de Souza Tolêdo, Nilza Alves Marques Almeida, Marta Rovery de Souza, Ruth Minamisava, Ruffo Freitas Júnior

Resumo


Estudo transversal analítico que objetivou analisar a prevalência e os fatores associados ao fluxo assistencial nos três níveis de atenção à saúde exclusivamente no Sistema Único de Saúde (SUS) de usuárias com câncer de mama. Entrevistaram-se 92 mulheres com câncer de mama, entre 29 e 82 anos, em tratamento ambulatorial em nível terciário de atenção à saúde do SUS. A prevalência de utilização do fluxo realizado exclusivamente no SUS, nos três níveis de atenção à saúde, foi de 43,5% (IC95% 33,6-53,7). Cerca de um terço das mulheres realizou consultas ou exames na rede privada, principalmente a mamografia. Os fatores associados à utilização do fluxo exclusivamente SUS, nos três níveis, foi idade ≤20 anos na primeira consulta ginecológica (OR=2,55) e estar sem trabalho remunerado (OR=3,28). Estes resultados sugerem a necessidade de melhoria de acesso na rede pública de atenção à saúde para mulheres com câncer de mama.

Palavras-chave


Neoplasias da Mama; Acesso aos Serviços de Saúde; Serviços de Saúde da Mulher

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5216/ree.v18.39147

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons A Revista Eletrônica de Enfermagem está licenciada sob uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Logotipo do Ibict