Análise de 10 anos de acidentes com material biológico entre a equipe de enfermagem

Dayane Xavier de Barros, Anaclara Ferreira Veiga Tipple, Liwcy Keller de Oliveira Lopes Lima, Adenícia Custódia Silva e Souza, Zilah Cândida Pereira das Neves, Thaís de Arvelos Salgado

Resumo


Os objetivos desse estudo foram: identificar o perfil dos acidentes com material biológico dos trabalhadores de enfermagem atendidos em um serviço de referência; caracterizar as condutas pré-exposição e analisar os fatores associados à exposição percutânea. Estudo epidemiológico, retrospectivo e analítico realizado em registros de acidentes envolvendo material biológico no período de 2000 a 2010. O número de acidentes com a equipe de enfermagem foi de 2.569 representando 44,6% do total de registros. Predominaram exposições percutâneas envolvendo agulha com lúmen, sangue, entre técnicos de enfermagem do sexo feminino, nos membros superiores. Ser do sexo feminino e trabalhar fora do município onde se encontra o serviço aumentou cerca de duas vezes a chance de acidentes percutâneos. Os dados consolidam a importância do risco biológico no exercício da enfermagem e apontam para o fato de que os trabalhadores deslocam de seus municípios para o atendimento quando consideram o acidente grave, como os percutâneos.

Palavras-chave


Exposição Ocupacional; Acidentes de Trabalho; Riscos Ocupacionais; Notificação de Acidentes de Trabalho; Equipe de Enfermagem

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.5216/ree.v18.35493

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons A Revista Eletrônica de Enfermagem está licenciada sob uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Logotipo do Ibict