A vida após o acidente vascular cerebral na perspectiva dos sobreviventes

Jaine Kareny da Silva, Vanessa da Silva Carvalho Vila, Maysa Ferreira Martins Ribeiro, Luc Vandenberghe

Resumo


Estudo de caso interpretativo desenvolvido com objetivo de compreender os significados da experiência da enfermidade na perspectiva de oito sobreviventes ao Acidente Vascular Cerebral. Os dados foram coletados por meio de entrevistas semiestruturadas, seguida de análise temática qualitativa. A experiência da enfermidade gerou sensações negativas como medo da morte, invalidez, perda de autonomia e incapacidade para o trabalho. O apoio social da família e da religião foi essencial para lidar com as mudanças na vida cotidiana na ineficiência das redes de atenção à saúde. Foi identificada a ausência de orientação, sobretudo pelos enfermeiros, para o cuidado do paciente no domicílio. Os resultados sugerem a necessidade de reforçar a educação em saúde para a valorização da sintomatologia preditora ao acidente vascular cerebral, a sensibilização do impacto que essa enfermidade representa na vida dos sobreviventes e a necessidade da equipe multiprofissional investir na proatividade dos familiares.

Palavras-chave


Acidente Vascular Cerebral; Reabilitação; Pesquisa Qualitativa; Doença Crônica; Assistência Centrada no Paciente

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.5216/ree.v18.34620

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons A Revista Eletrônica de Enfermagem está licenciada sob uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Logotipo do Ibict