Dificuldades relacionadas à terapêutica medicamentosa no transtorno de ansiedade

Ligiane Paula da Cruz, Kelly Graziani Giacchero Vedana, Bruna Paiva do Carmo Mercedes, Adriana Inocenti Miasso

Resumo


Este estudo objetivou compreender as dificuldades de pessoas com transtorno de ansiedade referente ao seguimento da terapia medicamentosa. Trata-se de estudo transversal, descritivo com abordagem qualitativa, desenvolvido em 2012 com 32 pessoas atendidas em serviço ambulatorial no interior de São Paulo - Brasil. Os dados foram coletados por entrevista semiestruturada gravada e submetidos à análise de conteúdo temática. As dificuldades para o seguimento da farmacoterapia foram representadas pelas categorias: “Ter conhecimento insuficiente sobre o diagnóstico e tratamento medicamentoso”, “Ficar insatisfeito(a) com os efeitos do tratamento”, “Desejar mais do que uma prescrição”, “Apresentar temores e preocupações relacionadas ao tratamento” e “Identificar impedimentos para seguir a prescrição medicamentosa”. Este estudo identificou aspectos, passíveis de intervenção, por meio de estratégias que focalizem a escuta, educação, autonomia e habilidades com vistas à segurança no uso dos medicamentos prescritos.

Palavras-chave


Transtornos de Ansiedade; Adesão à Medicação; Psicotrópicos; Pacientes Ambulatoriais; Enfermagem Psiquiátrica

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.5216/ree.v18.32741

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons A Revista Eletrônica de Enfermagem está licenciada sob uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Logotipo do Ibict