Queimaduras domésticas na população infantojuvenil: atendimentos de urgência e emergência

Jackeline Gonçalves Brito, Christine Baccarat de Godoy Martins

Resumo


Estudo cujo objetivo foi analisar as queimaduras domiciliares decorrentes de exposição à corrente elétrica/radiação/temperatura, fumaça/fogo/chamas e contato com fonte de calor/substâncias quentes, em vítimas crianças, adolescentes e jovens, atendidos em serviço de urgência/emergência de referência. Estudo descritivo, transversal, com vítimas de queimaduras domiciliares (entre zero a 24 anos) atendidas por serviço de pronto-atendimento em uma capital do centro oeste brasileiro, no ano de 2013. Foram estudadas 84 vítimas de queimaduras domiciliares, prevaleceu o sexo feminino (59,5%) e a faixa etária de 1-4 anos (27,4%). As queimaduras mais frequentes foram por contato com fonte de calor/substâncias quentes (82,1%) e exposição à fumaça/fogo/chamas (15,5%). As regiões corpóreas mais atingidas foram cabeça, tronco, membros superiores e inferiores (90,5%) e prevaleceu a queimadura de segundo grau (40,5%). Queimaduras domiciliares atingem significativamente o público infantojuvenil com destaque para o sexo feminino, apontando para a importância de atividades preventivas e educativas direcionadas para as meninas.

Palavras-chave


Acidentes Domésticos; Queimaduras; Traumatismos por Eletricidade; Serviços Médicos de Emergência; Cuidados de Enfermagem

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.5216/ree.v18.32141

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons A Revista Eletrônica de Enfermagem está licenciada sob uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Logotipo do Ibict