Indicações de plantas medicinais realizadas por raizeiros para tratamento de feridas

Maria Willianne Alves do Nascimento, Regina Célia Sales Santos Veríssimo, Maria Lysete de Assis Bastos, Thaís Honório Lins Bernardo

Resumo


Objetivou-se identificar plantas medicinais indicadas por comerciantes raizeiros no tratamento de feridas, em feiras livres. Pesquisa descritiva realizada em uma capital do nordeste brasileiro, por meio de entrevistas. Resultados indicam que a comercialização das plantas pelos raizeiros de ambos os sexos, com idade predominante entre 37 e 52 anos, dos quais 69,3% aprenderam sobre a função com familiares. Foram citadas 48 espécies vegetais para tratamento de feridas, entre elas Barbatimão e Aroeira referidas por todos participantes. Das plantas Sambacaitá, Urtiga Aberta, Uchi Amarelo, Corona, Xiquexique, Sena e Pindaíba não foram encontradas propriedades que comprovam sua indicação para uso em feridas. A casca do caule foi a parte da planta mais citada (96,15%), 81,03% dos participantes informaram que as plantas devem ser mantidas secas para conservação. Estudos que esclareçam atividades biológicas e efeitos colaterais das plantas medicinais são necessários, além de capacitações para raizeiros sobre indicações, preparo, armazenamento/conservação, prazo de validade.

Palavras-chave


Plantas Medicinais; Enfermagem em Saúde Comunitária; Cicatrização de Feridas; Comercialização

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.5216/ree.v18.31143

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons A Revista Eletrônica de Enfermagem está licenciada sob uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Logotipo do Ibict