Imaginário de presidiárias sobre o fenômeno das drogas

Jeane Freitas de Oliveira, Andreia Silva Rodrigues, Carlos Alberto Porcino, Maria Júlia de Oliveira Uchôa Reale

Resumo


O envolvimento com drogas constitui principal causa de aprisionamento de mulheres e tem relação com questões de gênero. Pesquisa qualitativa, com o objetivo de conhecer o imaginário de presidiárias sobre drogas. Foram investigadas 26 presidiárias, para as quais foi aplicada a técnica projetiva de desenho-estória com tema, cuja análise foi fundamentada na Teoria das Representações Sociais. Elementos das representações sociais evidenciados nos grafismos e conteúdo das estórias, permeados de realismos, denotaram sofrimento psíquico e agressividade, objetivadas e ancoradas nas dimensões afetiva, comportamental e psicossocial das participantes. O aprisionamento evidencia rebaixamento da estima, retraimento e isolamento sinalizados como motivos para o envolvimento das mulheres com substâncias psicoativas na tentativa de reconhecimento social e superação de carências afetivas. Conclui-se que o imaginário das participantes acerca das drogas elucida subjetividades do protagonismo feminino em meio a um fenômeno transversal na sociedade, sendo pertinente seu conhecimento para as práticas em saúde da mulher.

Palavras-chave


Drogas Ilícitas; Transtornos Relacionados ao Uso de Substâncias; Saúde da Mulher; Enfermagem em Saúde Comunitária.

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.5216/ree.v18.31072

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons A Revista Eletrônica de Enfermagem está licenciada sob uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Logotipo do Ibict